Top 5 notícias da Edição do Dia (semana de 20 a 24 de março)

Flipboard Brasil Blog / março 24, 2017


Deflagrada na sexta-feira passada pela Polícia Federal
, a Operação Carne Fraca investiga o envolvimento de fiscais do Ministério da Agricultura em esquema que fraudava a fiscalização e liberação de carne em frigoríficos. Nesta semana, alguns dos maiores importadores de carne brasileira, entre eles a China, adotaram medidas de restrição ao produto. Outros países, como os Estados Unidos, anunciaram que vão intensificar a inspeção das amostras. As exportações de carne sofreram forte queda depois de sexta: passaram de 63 milhões de dólares por dia, em média, para apenas 74 mil na terça-feira. Especialistas ouvidos pela BBC consideram que a operação gerou uma ‘desconfiança exagerada’ em relação ao produto brasileiro. Já o presidente Michel Temer falou em entrevista que o “espetáculo da Carne Fraca trouxe prejuízos ao país”. Ao todo, 21 frigoríficos estão sob investigação.

Veja todas as notícias que foram destaque na semana:

1. Governo tenta conter danos às exportações de carne — DW

Destaque: “O governo brasileiro tentou neste domingo (19/03) limitar os danos às exportações brasileiras de carne bovina depois de uma operação da Polícia Federal (PF), na sexta-feira passada, ter desbaratado um esquema de venda do produto com data de validade vencida ou mesmo estragado.

O presidente Michel Temer teve uma série de reuniões com ministros do seu governo e com cerca de 40 embaixadores dos principais países importadores de carne brasileira para discutir medidas que amenizem os eventuais impactos negativos da operação da PF, batizada de Carne Fraca. O Brasil é o segundo maior produtor de carne bovina do mundo e o maior exportador, fornecendo para mais de 150 países. A carne imprópria para consumo era destinada tanto ao mercado interno quanto à exportação.”

2. O impacto do escândalo das carnes na economia brasileira — BBC,

Destaque: “O Brasil custou para abrir novos mercados e agora a imagem do país está abalada lá fora. É difícil prever o que vai acontecer, mas não resta dúvida de que esse escândalo será prejudicial para a economia brasileira”, diz à BBC Brasil José Carlos Hausknecht, sócio diretor da MB Agro, braço agrícola da consultoria MB Associados.

Em outras palavras: isso pode acarretar um prolongamento da recessão, afetando a vida de todos os brasileiros.

Já segundo estimativa da consultoria LCA consultores, no pior dos cenários – se todos os países fecharem as portas às importações de carne brasileira – o impacto no PIB pode ser de até 1 ponto porcentual. A previsão oficial do governo, que deve ser revisada para baixo nos próximos dias, é de crescimento de 1%.”

3. Relator da Lava Jato recebe lista de Janot — DW

Destaque: “O ministro Luiz Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), recebeu nesta terça-feira (21/03) os 83 pedidos de abertura de inquérito contra políticos citados nas delações da Odebrecht. A lista foi enviada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Ao todo, a Procuradoria-Geral da República (PGR) fez 320 pedidos ao Supremo. Além das 83 solicitações de inquérito, há 211 desmembramentos das investigações para a primeira instância, que envolvem citados sem foro privilegiado, sete arquivamentos e 19 pedidos cautelares de providências.

A chamada segunda “lista de Janot” foi baseada em cerca de 950 depoimentos de 77 ex-executivos e funcionários da Odebrecht.”

4. Câmara aprova terceirização para todas as atividades — El País, Heloísa Mendonça, Gil Alessi

Destaque: “A principal mudança se refere à permissão das empresas para terceirizar quaisquer atividades, não apenas atividades acessórias da empresa. Isso significa que uma escola que antes poderia contratar só serviços terceirizados de limpeza, alimentação e contabilidade agora poderá também contratar professores terceirizados.”

5. Dilma sabia de caixa dois, diz Marcelo Odebrecht — Época Negócios

Destaque: “O empreiteiro Marcelo Odebrecht afirmou em seu depoimento ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que a ex-presidente Dilma Rousseff tinha conhecimento do uso de dinheiro de caixa dois para pagar o marqueteiro João Santana, responsável por sua campanha à reeleição em 2014. O empresário também disse que não chegou a conversar diretamente com ela sobre esse assunto. Em nota, Dilma negou as acusações e pediu que se investigue como um depoimento sigiloso se tornou público.

— A Dilma sabia da dimensão da nossa doação, e sabia que nós éramos quem doa… quem fazia grande parte dos pagamentos via caixa dois para João Santana. Isso ela sabia — disse Marcelo Odebrecht no depoimento prestado em 1º de março.”

 

Edição do Dia

Gustavo está lendo Escolha do Editor

BAIXE O FLIPBOARD: iOS / ANDROID / WINDOWS / WEB

SIGA-NOS:

FLIPBOARD / TWITTER / INSTAGRAM / FACEBOOK / GOOGLE+ / TUMBLR / YOUTUBE / SOUNDCLOUD / PINTEREST / MEDIUM