Top 5 notícias da Edição do Dia (semana de 21 a 25 de agosto)

Inside Flipboard Brasil / agosto 25, 2017

Uma das maiores lutas da história do boxe acontece neste sábado, em Las Vegas. O combate entre o boxeador norte-americano Floyd Mayweather (à esq.) e o lutador de MMA Connor Mcgregor, da Irlanda, não é considerado gigante pela disputa de algum cinturão específico, como geralmente acontece, mas sim pela capacidade dos dois atletas de atrair mídia, público e, consequentemente, muito dinheiro a todos os eventos que participam. No total, a luta deve movimentar quase dois bilhões de reais. Mayweather, o favorito, saiu da aposentadoria para participar do show e deve ganhar cerca de 720 milhões de dólares só para entrar no ringue. Mcgregor, o azarão sem experiência no boxe, vai levar 220 milhões de reais, no mínimo. As cifras impressionam, e quem quiser ver a luta pela tv terá que desembolsar uma boa quantia para adquirir o pay-per-view.

Veja as notícias que também foram destaque na semana:

1. Como a inteligência artificial ajuda empresas a vender mais — Época Negócios

Destaque: “Depois de anos armazenando dados dos clientes inscritos nos programas de fidelidade, o varejo e as plataformas de comércio eletrônico começam a tirar proveito desse arsenal de números para ampliar as vendas. As milhões de transações já realizadas são convertidas em perfis de comportamento com a ajuda de ferramentas de inteligência artificial (baseadas em complexos algoritmos). Com base nessa matemática, é possível descobrir o que o consumidor quer ou qual o seu estilo de vida.

Ao fazer a oferta de acordo com o perfil do consumidor, a chance de concretizar a venda é maior. Algumas empresas também abrem os dados aos fornecedores, que, sabendo quem vai comprar seu produto, podem dar descontos específicos a cada grupo de clientes.”

2. Como você poderá eleger deputados em 2018? — BBC, João Fellet

Destaque: ” Desgastado pela Operação Lava Jato e diante da proibição de doações empresariais, o Congresso debate mudanças no sistema pelo qual os brasileiros elegem deputados e vereadores.

As alterações – que se forem aprovadas até o fim de setembro valerão já na eleição de 2018 – podem provocar mudanças importantes nas disputas e nas estratégias dos partidos.

Em jogo está a distribuição dos recursos que custearão o pleito e o futuro dos congressistas – muitos dos quais envolvidos em denúncias e que tentarão se reeleger.”

3. Ex-ministro de Temer vira réu por obstrução de Justiça — G1, Camila Bomfim

Destaque: “A Justiça Federal em Brasília aceitou nesta terça-feira (22) a denúncia da Procuradoria da República no Distrito Federal e transformou em réu o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) por obstrução de justiça.

Na semana passada, Geddel foi denunciado por tentativa de atrapalhar as investigações sobre desvios no FI-FGTS, o fundo de investimentos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço.”

4. As estratégias dos ricos brasileiros para pagar menos impostos — BBC, Camilla Veras Mota e Leticia Mori

Destaque: “No Brasil, os mais ricos usam uma série de estratégias para pagar menos impostos sobre renda e patrimônio.

A grande maioria dos casos, entretanto, não é considerada ilegal. São práticas conhecidas como “elisão fiscal”, quando se diminui a carga tributária com o uso de regras previstas pela própria legislação.

O chamado planejamento tributário só está acessível a quem tem melhor situação financeira, já que algumas operações não valem a pena para rendas mais baixas ou só são possíveis quando o patrimônio é maior. Nesses casos, os contribuintes costumam contratar consultorias para garantir que todas as operações estarão dentro da lei.”

5. A nova caça ao ouro na Amazônia — El País, Marina Rossi

Destaque: “O Governo Michel Temer acabou, por decreto, com uma regra que destinava uma imensa reserva de cobre na Amazônia apenas à exploração estatal abrindo o caminho para a mineração privada. Trata-se da Renca (Reserva Nacional de Cobre e Seus Associados), uma área com alto potencial de ouro e outros metais preciosos que fica entre o Pará e o Amapá com 46.450 quilômetros quadrados, pouco maior que a Dinamarca. O decreto que a criou, em 1984, no final da ditadura militar, determinava que somente a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM), uma empresa pública pertencente ao Ministério de Minas e Energia, podia fazer pesquisa geológica para avaliar as ocorrências de minérios na área. Agora, a expectativa é que grandes empresas se interessem em explorar o potencial da área. Para ambientalistas e especialistas, no entanto, a medida ameaça as duas reservas indígenas, um parque nacional, uma floresta nacional e uma estadual e quatro reservas ecológicas que compõem a área total da Renca.”

 

Edição do Dia

Gustavo está lendo Social Media

BAIXE O FLIPBOARD: iOS / ANDROID / WINDOWS / WEB

SIGA-NOS:

FLIPBOARD / TWITTER / INSTAGRAM / FACEBOOK / GOOGLE+ / TUMBLR / YOUTUBE / SOUNDCLOUD / PINTEREST / MEDIUM